18 cuidados essenciais para os recém nascidos

O nascimento de um filho emociona, mas também preocupa. Como cuidar direito desse ser tão pequeno e delicado? Bom, ao redor dos pais não faltam pessoas para responder a essa pergunta. “Os pais ficam vulneráveis a palpites que podem não fazer bem nem para o bebê nem para a mãe, por isso o ideal é consultar o pediatra o mais cedo possível”, destaca Debora Passos, neonatologista do Hospital e Maternidade Pro Matre, em São Paulo.

1) Ainda na maternidade

 

Além do famoso teste do pezinho, o bebê faz também os testes do olhinho, coraçãozinho e linguinha para checar se há doenças congênitas, síndromes ou alguma outra ameaça à saúde. Eles também são vacinados ainda no hospital contra a hepatite B e tomam a BCG, que protege da tuberculose.

 

2) Estimular a amamentação

 

A primeira visita ao seio materno deve ocorrer de preferência na sala de parto. Mesmo que o bebê não sugue nesse momento, o importante é estimular o contato pele a pele, pois ele torna mais fácil a amamentação. Depois o filho sai da sala para tomar as vacinas e fazer os testes iniciais. Embora algumas maternidades ofereçam fórmulas lácteas durante esse período, o bebê geralmente tem uma reserva de nutrientes que suporta algumas horas até a próxima mamada.

 

3) Em casa, circulação restrita

 

Os médicos desencorajam visitas no primeiro mês de vida, mas caso queira receber alguém, certifique-se de que a pessoa esteja saudável e de que as visitas sejam curtas, em torno de 15 minutos. Todos tem que lavar as mãos imediatamente antes de tocar no bebê. A mesma regra vale para os pais.

 

4) Um lar silencioso

 

O filho acaba de sair de um ambiente de pura paz, o útero materno. Por isso, a casa deve ser igualmente tranquila e silenciosa nos primeiros dias de vida. Especialmente durante a amamentação e na hora de dormir.

 

5) O banho

 

Ainda na maternidade, a enfermeira fará um banho demonstrativo no quarto. Depois, é só reproduzir em casa, seguindo alguns passos. Primeiro, deixe tudo que precisará por perto – a saber, sabonete líquido de glicerina hipoalergênico, que servirá para corpo e cabeça, toalha, algodão, fralda e roupa. A água da banheira deve estar em 36 graus, quentinha mas confortável. Os especialistas recomendam que bem nesse início da vida, o corpo do bebê seja enrolado numa toalha para a cabeça ser lavada primeiro. Depois, seque a cabeça e aí lave o corpo, gentilmente.

 

6) Trocando a fralda

 

Não é preciso trocar toda vez que o recém-nascido faz xixi, mas o período é de consumo intenso de fraldas, porque eles farão cocô cerca de oito vezes por dia. Na hora de fazer a troca, evite lenços umedecidos, que contém químicos que podem irritar a pele do bebê. Prefira algodão e água morna. Meninos e meninas devem ser sempre limpos da frente para trás, e no caso deles o prepúcio não deve ser forçado para baixo. A limpeza é sempre suave.

 

7) O que fazer com o coto umbilical

 

Geralmente o resquício do cordão umbilical cai até o 15º dia de vida. Até lá, é preciso higienizar bem a base dele, mais próxima da pele, com álcool 70% a cada troca de fraldas. É normal sair um pouco de sangue.

 

8) As primeiras idas ao pediatra

 

Ocorre na primeira semana após a alta hospitalar, para avaliar a amamentação e a saúde do bebê. Nesse encontro o médico estabelece o ritmo das próximas visitas, que geralmente ocorrem no 15º dia, no primeiro mês e, depois, mensalmente.

 

9) Evite passeios no primeiro mês

 

Com exceção do pediatra, o bebê não deve ir para a rua no começo da vida. Além do excesso do contato com excesso de pessoas oferecer risco direto à saúde do bebê, ambientes movimentados, com barulhos e cheiros fortes podem estressar o pequeno. Mas idas breves à casa dos avós ou outro local tranquilo estão liberadas.

 

10) Limpar o nariz antes da mamada

 

E não só quando ele escorrer ou aparentar estar entupido. Antes da amamentação, as narinas devem ser higienizadas com soros fisiológicos em spray específicos para bebês, pois eles têm o jato mais suave.

 

11) Como limpar a orelha e os olhos

 

O ouvido não deve ser limpo, basta passar depois do banho a própria toalha ou um cotonete de maneira bem delicada na parte externa da orelha, que depois precisa ser bem secada. Já os olhos devem ser limpos durante o banho com algodão e água. Algumas crianças, entretanto, lacrimejam mais e, nesse caso, o olhinho pode ser limpo em outros momentos.

 

12) Não limpe a boca

 

Os lábios, é claro, podem ser higienizados depois da mamada, mas não há necessidade de lavar o interior da boca, mesmo que haja uma camada de resquícios de leite na língua do bebê.

 

13) A posição no colo

 

Como nessa fase é muito comum ter refluxo, a cabeça deve estar sempre mais elevada do que o resto do corpo. O pequeno ainda não tem força para sustentar a cabeça, por isso os pais devem sempre segurá-la com as mãos. Algumas posições também ajudam a aliviar as cólicas.

 

14) A icterícia normal e a que preocupa

 

Grande parte das crianças tem o problema, que deixa a pele amarelada e atinge seu pico por volta do 7º dia de vida. Depois disso, a cor volta aos poucos ao normal. Mas se o amarelo for muito intenso, é melhor checar com o pediatra se está tudo bem.

 

15) Os banhos de sol

 

Eles devem sim ocorrer, mas só depois da primeira consulta com o pediatra. E são breves, no máximo 15 minutos por dia, só nas pernas do bebê pois sua pele é muito delicada, fora do período de maior incidências dos raios ultravioleta, que ocorre entre 10h e 16h ou 17h em épocas mais quentes. Mesmo a claridade natural indireta já ajuda.

 

16) Como aliviar as cólicas

 

A partir da terceira semana as cólicas intestinais começam a dar as caras. É normal, mas o bebê chorará com o incômodo. É possível aliviar a dor com massagens ensinadas pelo pediatra, que também prescreve medicamentos se necessário. Compressas mornas, nunca diretamente sobre a pele do bebê, também ajudam.

 

17) Evite a chupeta

 

Antes dos 15 primeiros dia a chupeta está proibida, pois atrapalha a amamentação. Mas mesmo depois disso ela pode causar o desmame precoce e outros problemas para o bebê, segundo uma publicação recente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

 

18) Não é só o bebê que precisa de cuidados

 

Esse é um período muito tenso para os pais, especialmente para a mãe, que amamenta e muitas vezes fica sobrecarregada com a demanda constante do filho. O pai precisa participar ativamente e a família toda dar suporte para que tudo corra tranquilamente, como o sono de um bebê.

Fonte: Bebê.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *